Di 17 de Janeiro, dia de Ganesha!

Hoje, dia 17 de Janeiro, é dia de Festa! Dia de Ganesha! Dia de Puja a Ganesha!

E mesmo não fazendo postagens de Sábado, hoje preparei um dia inteiro ao lorde Ganesha, Deus da Sabedoria e que retira os obstáculos de nossas vida sem permitir que o Ego nos domine.

O que significa fazer uma puja para Ganesha?

Puja é uma cerimônia ou um ritual que se faz para uma deidade, neste caso Ganesha, que é a divindade mais popular na Índia. Incensos e lamparinas são acesas, flores são oferecidas, mantras do livro sagrado Vedas são cantados. Além disso, também são oferecidas comidas como coco, doces e o Dhal que é uma iguaria da culinária indiana feita de lentilhas, grão de bico, ou até legumes batidos. O dhal é sempre meio líquido, meio pastoso, assim como o feijão batido dos brasileiros.

Sobre o Deus

Ganesha tem uma enorme cabeça de elefante, imensa para um corpo de menino indicando sua capacidade intelectual e a firme dedicação aos estudos.

Ganesha é o Mestre do Conhecimento, da Inteligência e da Sapiência. É aquele que proporciona a potência espiritual e a inteligência suprema. É o grande removedor dos obstáculos, Guardião da Riqueza, da Beleza, da Saúde, do Sucesso, da Prosperidade, da Graça, da Compaixão, da Força e do Equilíbrio. Ganesha significa “Senhor de Todos os Seres”.

É filho do Senhor Shiva, a “Realidade Suprema”, e de Parvati, a “Mãe do Cosmos”.

 

Ganesha e o Rato

De acordo com uma interpretação, o divino veículo de Ganesha, o rato ou mushika representa sabedoria, talento e inteligência. Ele simboliza investigação diminuta de um assunto difícil. Um rato vive uma vida clandestina nos esgotos. Então ele é também um símbolo da ignorância que é dominante nas trevas e que teme a luz do conhecimento. Como veículo do Senhor Ganesha, o rato nos ensina a estar sempre alerta e iluminar nosso eu interior com a luz do conhecimento.

Ambos Ganesha e Mushika amam modaka, um doce que é tradicionalmente oferecido para os dois durante cerimônias de adoração. O Mushika é normalmente representado como sendo muito pequeno em relação a Ganesha, em contraste para as representações dos veículos das outras divindades. Porém, já foi tradicional na arte Maharashtriana representar Mushika como um rato muito grande, e Ganesha estando montado nele como se fosse um cavalo.

Outra interpretação diz que o rato (Mushika ou Akhu) representa o ego, a mente com todos os seus desejos, e o orgulho da individualidade. Ganesha, guiando sobre o rato, se torna o mestre (e não o escravo) dessas tendências, indicando o poder que o intelecto e as faculdades discriminatórias têm sobre a mente. O rato (extremamente voraz por natureza) é habitualmente representado próximo a uma bandeja de doces com seus olhos virados em direção de Ganesha, enquanto ele segura um punhado de comida entre suas patas, como se esperando uma ordem de Ganesha. Isto representa a mente que foi completamente subordinada à faculdade superior do intelecto, a mente sob estrita supervisão, que olha fixamente para Ganesha e não se aproxima da comida sem sua permissão.

Segundo a lenda, Shiva, o Deus Hindu da resolução, foi afastado em uma guerra. Sua esposa Parvati, queria tomar banho, mas não tinha ninguém para vigiar a porta de sua casa, então concebeu a idéia de criar um filho que pudesse protegê-la. Parvati criou Ganesha com a pasta de sândalo que ela usou para o banho e deu vida a figura. Ela, então, o colocou para montar guarda à sua porta e deu-lhe instruções para não deixar ninguém entrar.

Entretanto, o Senhor Shiva retornou da batalha, mas como Ganesha não o conhecia, o proibiu de entrar na câmara de Parvati.

Shiva, furioso pela insolência de Ganesha, pegou seu tridente e cortou a cabeça de Ganesha.

Parvati saiu para encontrar Ganesha decapitado e enfureceu-se.

Ela assumiu a forma da Deusa Kali e ameaçou detruir  os três mundos: do Céu, da Terra e do Submundo.

Ao vê-la neste estado de espírito, os outros Deuses estavam com medo e Shiva, na tentativa de pacificar Parvati, enviou seus Ganas, ou Hordas, para encontrar uma criança cuja mãe estivesse negligente, cortar sua cabeça e trazê-lo rapidamente . A primeira coisa viva que encontraram, no entanto,  foi  um elefante, e o mesmo estava voltado para o norte (sentido associado à sabedoria).

Assim trouxeram a cabeça do elefante e Shiva o colocou no corpo do filho de Parvati e soprou a vida nele.

Parvati ficou muito feliz e abraçou seu filho, o menino com cabeça de elefante que Shiva nomeou como: “ Ganesha, o senhor de seu ganas”.

Parvati ainda estava muito triste, assim Shiva anunciou que todos adorassem Ganesha antes de qualquer outra forma de Deus.

Assim, Ganesh é adorado primeiro em todas as ocasiões e festivais hindus.

Ganesha é amplamente adorado por toda a Índia como o removedor de obstáculos.

 

Para adorar Ganesha, monte um pequeno altar com um pano vermelho e a sua imagem e faça diariamente os seus mantras ou oração. Como oferendas pode colocar arroz cozido só em água, flores amarelas e vermelhas, queime um incenso de Sândalo, e velas vermelhas e amarelas, um potinho com rebuçados de coco, um pratinho com nove moedas. Um cristal branco também pode ser colocado no seu altar. Repita nove vezes o mantra:

OM, e o mantra “Om Gam Ganapataye namaha”.

 

Correspondências:

Área de Influência: Deus da Fortuna, Sabedoria, Literatura
Animais: ratos, elefantes
Consorte: Buddhi, Siddhi
Símbolos: Machado, Cobras
Cores: Amarelo, laranja, vermelho
Dia da semana: quarta-feira
Oferendas: arroz, frutas, goiabada, mel, queijo, moedas e flores

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s