Bruxices 25

Hoje, noite de Sabath!
Feliz Yule aos que Rodam pelo Sul!

e Feliz Litha aos que rodam pelo Norte!

Yule

Anúncios

Bruxice Especial: O Andarilho

E a Bruxinha Mô hoje recebe visitas!

Um rapazote, andarilho, que surgiu lááá no Mentirinhas e veio andando por várias tirinhas, até chegar no PQP, e de lá aparecer por cá, esperando conhecer um quadrinho feito por uma garota e…

00_post

E agora lá vai ele, depois do susto com o Fantasma Teobaldo, cair nas páginas do Como eu Realmente…

Deusa Aine

Aine

dana1

Aine é uma deusa primária da Irlanda, soberana da terra e do sol, associada ao Sostício de Verão, que sobreviveu na forma de uma Fada Rainha. Seu nome significa: prazer, alegria, esplendor. Ela é irmã gêmea de Grian, a Rainha dos Elfos e era também considerada um dos aspectos da Deusa Mãe dos celtas Ana, Anu, Danu ou Don. Juntas Grian e Aine, alternavam-se como Deusas do Sol Crescente e Minguante da Roda do Ano, trocando de lugar a cada solstício.

Os pagãos acreditam que na entrada do Solstício de Verão, todos os Povos pequenos vêm a Terra em grande quantidade, pois é um período de equilíbrio entre Luz e Trevas. Se estiver em paz com eles, acredita-se que, ao ficar de pé no centro de um anel-das-fadas é possível vê-los. É um período excelente para fazer amizade com as fadas e outros seres do gênero.

Rainha dos reinos encantados e mulher do Lago, ela é a Deusa do amor, da fertilidade e do desejo. É filha de Dannann, e esposa e algumas vezes filha de Manannan Mac Liir, e mãe de Earl Gerald. Como feiticeira poderosa, seus símbolos mágicos são “A égua vermelha”, plantações férteis, o gado e o ganso selvagem.

Existem duas colinas, perto de Lough Gur, consagradas à Deusa, onde ainda hoje ocorrem ritos em honra a fada Aine. Uma, a três milhas a sudoeste, é chamada Knockaine, em homenagem a esta deusa. Nessa colina possui uma pedra que dá inspiração poética a seus devotos meritórios e a loucura à aqueles que são por Ela rejeitados.

Esta é uma Deusa-Fada que segundo a tradição celta ajudava os viajantes perdidos nos bosques irlandeses. Diziam que para chamá-la bastava bater três vezes no tronco de uma árvore com flores brancas. Sempre que se sentir “perdido”, faça o mesmo, chame por Aine batendo três vezes no tronco de uma árvore de flores brancas. Ela não vai tardar em ajudar.

 

Correspondências:

Data: Solstício de Verão
Símbolo: égua vermelha, plantações férteis, o gado e o ganso selvagem.
Incenso: Flores e Floresta
Oferta: Mel

Deusa Danu

Danu

deusadanu3

DANA – Deusa Tríplice do Lar e da Família.

Também conhecida como Danu, é a maior Deusa Mãe da mitologia celta. Na Ibéria, a divindade suprema do panteão celta é considerada à senhora da luz e do fogo. Era ela que garantia a segurança material, a proteção e a justiça.

Dana é uma Deusa Tríplice Estelar que governava muitas tribos. Invoque-a a uma estrela e ela procurará em todos os lugares um amor para você.

Deixe a energia do céu agir dentro de você e se entregue às suas mais simples sensações e às suas mais complexas abstrações.

Segundo uma lenda, Dana nasceu em um Clã de Dançarinos que viviam ao longo do rio Alu. Seu nome foi escolhido por sua avó, Kaila, Sacerdotisa do Clã. Foi ela que sonhou com uma barca carregando seu povo por mares e rios até chegarem em uma ilha, onde deveria construir um Templo, para que a paz e a abundância fossem asseguradas. Ao despertar, Danu relatou seu sonho ao conselho e a grande viagem começou então a ser planejada.

Também conhecida como Danu, é a maior Deusa Mãe da mitologia celta. Seu nome “Dan”, significa conhecimento, tendo sido preservada na mitologia galesa como a deusa Don, enquanto que outras fontes equipararam-na à deusa Anu. Na Ibéria, a divindade suprema do panteão celta é considerada a senhora da luz e do fogo. Era ela que garantia a segurança maetrial, a proteção e a justiça. Dana ou Danu também é conhecida por outros nomes: Almha, Becuma, Birog, ou Buan-ann, de acordo com o lugar de seu culto. Outro aspecto da Morrigu.

O “Anuário da Grande Mãe” de Mirella Faur, nos apresenta o dia 31 de março como o dia de celebrar esta deusa da prosperidade e abundância. Conta ainda, que os celtas neste dia, acreditavam que dava muito azar emprestar ou pegar dinheiro emprestado, por prejudicar os influxos da prosperidade. Uma antiga, mas eficaz simpatia, mandava congelar uma moeda, fazendo um encantamento para proteger os ganhos e evitar os gastos.

Os descendentes da Dana e seu consorte Bilé (Beli) eram conhecidos como os “Tuatha Dé Dannan” (povo da Deusa Dana), uma variação nórdica de Diana, que era adorada em bosques de carvalhos sagrados. O nome “Dana” é derivado da Palavra Céltica Dannuia ou Dannia. É significativo que o rio Danúbio leve seu nome, pois foi no Vale do Danúbio, que a civilização Celta se desenvolveu. A ligação Celta com o vale do rio Danúbio também é expressa em seu nome original. “Os filhos de Danu”, ou “Os filhos de Don”.

Dana é irmã de Math e seu filho é Gwydion. Sua filha é Arianrhod, que tem dois filhos, Dylan e Llew. Os dois outros filhos de Dana são Gobannon e Nudd.

É certo que Dana deveria ser considerada a Mãe dos Deuses, depois de ter lhes dado seu nome. Há várias interpretações do seu nome, sendo que uma delas é “Terra Molhada” e o mais poética, “Água do Céu”.

Danu é uma das Dea Matronae da Irlanda e a Deusa da fertilidade. Seu símbolo mágico é um bastão.

Seu personagem foi cristianizado na figura de Santa Ana, mãe da Virgem Maria, pois sua existência é proveniente de uma antiga divindade indo-européia. Também é conhecida na Índia, como o nome de “Ana Purna” e em Roma toma o nome de “Anna Perenna”.

 

Os Tuatha de Danaan eram a quarta reça de colonizadores que chegaram

na Irlanda séculos antes da era cristã. Eles eram sábios, eminentes

magos, cientistas e artesãos, possuidores de uma altissima vibração

espiritual, verdadeiros “seres de luz”. Após permanecerem

duzentos anos ensinando suas artes para o habitantes nativos,

foram vencidos pelos ultimos conquistadores da ilha, os Milesianos,

guerreiros e materialistas. Os sobreviventes do “povo da deusa

Danu” refugiaram-se nas colinas ou em cavernas e passaram a

ser conhecidos como ” Daoine Sidhe” ou o “Povo das Fadas”

 

Correspondências:

Símbolo: Bastão

Data: 31 de Março

Jóias: prata, ouro, platina.

Cor da roupa: preta, roxa, azul-claro, prata ou cinza.

Óleos: sândalo, jasmim, óleo de Cerridwen, olíbano, mirra.

Ervas: rosa silvestre, coentro, anis-estrelado, nenúfar, língua de víbora, rizoma de lírio.

Pedras: Turmalina verde, crisoprásio, aventurina, pedra da lua, turmalina rosa, opala,rodocrozita, quartzo branco, esmeralda, ametista.

Ritual de protecção: Acenda três velas brancas para a Deusa Donzela, três velas rosas para a Deusa Mãe e três velas amarelas para a Deusa Anciã, rezando sempre:”Deusa das três faces, traga-me o Dom da Lua! No crescente, dê-me coragem; no cheio me preencha de amor; no minguante, sabedoria, virtude e magia!

 

Atrasado, mas Feliz Dia do Quadrinho Nacional!

Eu percebi que fazia 4 meses que não postava aqui, não que eu ande parada, a página no Facebook anda a todo vapor, mas aqui, oh bem… que desgosto T_T
Me perdoem!
E como promessa de novo ano (em Fevereiro?), teremos duas postagens semanais ❤

Uma de quadrinhos, outra sobre Wicca e Bruxaria em geral, que acham?

Para começar por a casa em dia, uma postagem atrasada! =(
Dia 30 de Janeiro foi o Dia do Quadrinho Nacional, e bem, a Mô é Quadrinho Nacional!

E para comemorar, um monte de quadrinistas queridos desse nosso Brasil se uniram para brincar de amigo oculto/secreto. Cada autor fez uma ilustração do seu personagem com o personagem do amigo. E eu tirei o querido Digo Freitas, proporcionando um dia feliz ao Darazar em meio a bicharada do Mamu & Le Fan ❤

 

469_Digo_Freitas.jpg

Segue a lista de quem tirou quem dos participantes, a partir daqui. É só visitar o primeiro artista de uma linha para ver o presente que ele fez para o segundo artista desta linha, por exemplo.

Chairim (As aventuras da Bruxinha Mô) » Digo Freitas (Diário de ideias gráficas quase originais)
Digo Freitas (Diário de ideias gráficas quase originais) » Rafael Marçal (Proféticos)
Rafael Marçal (Proféticos) » Yoshi Itice (Manjericcão)
Yoshi Itice (Manjericcão) » Felipe Cagno (321: Fast Comics)
Felipe Cagno (321: Fast Comics) » Nicolas Cares (23 Comics)
Nicolas Cares (23 Comics) » Vinícius Gressana (Café do Feliz)
Vinícius Gressana (Café do Feliz) » Hugo Nanni (Mondo Hugo Nanni)
Hugo Nanni (Mondo Hugo Nanni) » Ana Luísa Medeiros (Ana e o sapo)
Ana Luísa Medeiros (Ana e o sapo) » Michel Ramalho (Ramsés)
Michel Ramalho (Ramsés) » Marcos Noel (Gi e Kim)
Marcos Noel (Gi e Kim) » Fábio Coala (Mentirinhas)
Fábio Coala (Mentirinhas) » Bruno Borovac (Baboom)
Bruno Borovac (Baboom) » Mario Cau (Terapia)
Mario Cau (Terapia) » Pedro Netto (Por que Pedro?)
Pedro Netto (Por que Pedro?) » Carlos Ruas (Um sábado qualquer)
Carlos Ruas (Um sábado qualquer) » Guilherme Bandeira (Objetos inanimados)
Guilherme Bandeira (Objetos inanimados) » Paulo Kielwagen (Blue e os gatos)
Paulo Kielwagen (Blue e os gatos) » Herbert Berbert
Herbert Berbert » Wesley Samp (Depósito do Wes)
Wesley Samp (Depósito do Wes) » Fernanda Nia (Como eu realmente)
Fernanda Nia (Como eu realmente) » Chairim (As aventuras da Bruxinha Mô)